UMA ANDORINHA NÃO FAZ VERÃO

Grupos de Trabalho

GT 1 – coordenação: Dra. Renata Gelamo

Tema: Voz e experiência

Neste GT vamos nos dedicar ao compartilhamento de narrativas a respeito da voz como experiência em nossas atuações. Como espaço (público) disponível para o sujeito da experiência, o trabalho com a voz nesta perspectiva pressupõe disponibilidade para o encontro e para a escuta. Nesse território de acolhimento para todas as vozes, onde a intimidade com o próprio corpo se faz a partir da investigação e cuidado de si no encontro com o outro, criam-se diferentes possibilidades de expressão e enunciação, como uma trajetória para o encontro da voz própria.

GT 2 – coordenação: Dr. Fábio Miguel (IA-Unesp)

Tema: Técnica vocal para coros

Pretende-se discutir acerca dos papéis da técnica na expressão vocal no contexto coral, buscando visualizar maneiras de conciliar os procedimentos técnicos vocais com a construção e execução do repertório.

GT 3 – coordenação: Dr. Paulo Moura (IA-Unesp)

Tema: Práticas corais juvenis

Realizações vocais coletivas, no âmbito juvenil, apresentam ricas possibilidades e ao mesmo tempo grandes responsabilidades; o GT será destinado a abordar essas duas dimensões a partir da troca de experiências entre os participantes.

GT 4 – coordenação:  Mestrando Rodrigo Assad ( Guri Santa Marcelina)/Dra. Wasti Silvério Ciszevski Henrique (Colégio Pedro II)

Tema: Canto na escola

O GT tem como objetivo discutir questões relacionadas ao uso da voz na Educação Musical, dentro do contexto escolar, seja este formal ou não-formal. Abordar o ensino de música nas escolas pressupõe, na maioria das vezes, o cantar na sala de aula como o principal recurso pedagógico. Dessa forma, a proposta será a de criação de um espaço de trocas, com relatos de experiências e escuta, que construam condições para o fortalecimento e desenvolvimento desta prática.

GT 5 – coordenação: Ms. Clara Rocha

Tema: Saúde vocal

O objetivo deste GT é discutir aspectos de saúde vocal e demanda vocal do professor e do aluno e instrumentalizar os profissionais para identificar características vocais que possam revelar prejuízos a voz do aluno e à própria voz durante o trabalho, minimizando riscos para saúde vocal.

- "Professor é rouco" - questões socioculturais da voz do professor

- Qual a voz que cuido? O que preciso identificar no meu aluno?

- Quem cuida da minha voz? O que percebo na minha voz?

- Quando procuro o fonoaudiólogo?

- Resistência X Qualidade vocal - qual importa mais e quando importa mais

- Demandas vocais - como minimizar riscos

- Aquecimento X Treinamento

GT 6 – A voz da pessoa com deficiência – coordenação: Ms. Isabel Bertevelli

Tema: Música e a pessoa com deficiência

O GT é um espaço para troca de experiências, escuta e reflexões a respeito do trabalho musical para pessoas com deficiência na perspectiva da inclusão. “Dar voz” a essas pessoas e permitir que se expressem musicalmente através de recursos, materiais e técnicas diferenciadas. Como é a música para as pessoas que não ouvem ou que não conseguem se comunicar? Como é o canto e a voz dessas pessoas? Conhecer e compartilhar são o início da educação musical para todos.


 

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now